Filme-performance: Mesmo o silêncio é causa de tempestade

Com Luis Macías e Adriana Vila

 

A tempestade exala através de nós e dos galhos nus (de todos e de cada um) para que possamos pegar emprestada a sua pura e permanente virtude. Ficamos imaginando se as cidades já ouviram a simplicidade de sua história, apesar de sua solidão. No entanto, elas não foram expurgadas no fluxo para fora da corrente da noite. Agora elas se arrastam para longe. Perecível, tarde e distante, a terra não discute. Ela não tem argumentos. Em desacordo, com sorte, descobrimos sua resposta, como refugiados na ilusória armadilha da ilusão. Por agora, eles dizem, a tempestade passou. Mas nós não acreditamos.

Um filme-performance de Luis Macías e Adriana Vila Guevara. Uma exibição de dispositivos de projeção analógicos com slides de 35mm, filmes 16mm (feitos por meio de revelação manual, experimentos fotoquímicos e impressão ótica quadro a quadro) combinados com o som criado por Alfredo Costa Monteiro a partir de gravações de campo e dispositivos eltroacústicos em uma única performance de experimentação visual e sonora. Uma experiência perceptiva exorbitante sobre nossa relação com a natureza: hipnótica, sutil e violenta.

 

Cine Humberto Mauro
05 de agosto, sexta, 20h30