Júri Mostra Minas

 

COMPETITIVA INTERNACIONAL

 

Angela Prysthon é professora titular da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE). Fez estágio sênior pós-doutoral na University of Southampton. Tem doutorado em Teoria Crítica pela University of Nottingham e mestrado em Teoria Literária pela UFPE. É autora de Cosmopolitismos periféricos (2002) e Utopias da Frivolidade (2014), entre outros títulos. Seus escritos sobre cinema, mídia e literatura apareceram em inúmeros livros e periódicos, incluindo Culture of the Cities (2010), Visualidades hoje (2013), Devires, La furia umana e Contracampo.

 

Heitor Augusto é crítico de cinema, pesquisador e professor. Seus artigos estão publicados em revistas eletrônicas de crítica, catálogos de mostras e também em livros. Ministra cursos livres em cinema e coordena oficinas de crítica cinematográfica. Também atua como curador e integrou comissões de seleção de festivais e editais. Mantém o blog Urso de Lata e se prepara para lançar um livro de ensaios sobre o cinema Blaxploitation.

 

Tatiana Carvalho Costa é realizadora audiovisual e mestre em Comunicação Social (UFMG). Integrante dos coletivos Elas Pretas e Segunda Preta. Professora nos cursos de Cinema e Audiovisual e de Jornalismo Multimídia do Centro Universitário UNA, e colaboradora do Núcleo de Direitos Humanos e Cidadania LGBT – NUH/UFMG. Realiza trabalhos de pesquisa acadêmica e de produção audiovisual relacionados às subalternidades contemporâneas.

  

COMPETITIVA BRASIL

 

Amaranta Cesar é professora e pesquisadora de Cinema e Audiovisual da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia. É Doutora em Estudos Cinematográficos pela Universidade de Paris 3 – Sorbonne Nouvelle. Idealizou e é curadora do CachoeiraDoc – Festival de Documentários de Cachoeira.

 

Fabienne Morris concluiu seus estudos em Finanças e Direito em Paris e trabalhou em Bruxelas antes de ingressar no FIDMarseille em 2003 como coordenadora de programação. Em 2009, criou o FIDLab, uma plataforma do festival para coprodução internacional, que codirige com Rebecca De Pas. Há sete anos participa da seleção de projetos do Doc Station da Berlinale Talents, além de ser orientadora de um fundo regional de filmes na França.

  

Marisa Merlo é graduada em cinema pela FAP/UNESPAR. Foi sócia da empresa Grafo Audiovisual entre 2008 e 2016. É fundadora e foi diretora do Olhar de Cinema – FIC. Também atua como programadora no Olhar de Cinema desde 2012, além de passagens pelo Festival de Brasília (2016-2017), Bienal do Cinema Sonoro (2017) e Cachoeira Doc (mostra Com Mulheres, 2016). Como produtora executiva, seus principais trabalhos são os longas O filho eterno (2016), Para minha amada morta (2015) e A gente (2013), além da série de TV Nóis por nóis (2017).

  

COMPETITIVA MINAS

 

Marcelo Pedroso é realizador audiovisual. Dirigiu os longas-metragens Por trás da linha de escudos, Brasil S/A e Pacific. Educador e pesquisador em audiovisual, desenvolve atualmente um doutorado no Programa de Pós-Graduação da Universidade Federal de Pernambuco.

 

Maria Chiaretti é mestre em Teoria e História do Cinema pela Université Paris 8 e doutoranda do programa Meios e Processos Audiovisuais da ECA – USP, onde desenvolve, sob orientação de Ismail Xavier, pesquisa comparativa sobre a noção de instabilidade nos cinemas de John Cassavetes e Jacques Rivette.

 

Sergio Muniz é cineasta. Participou do planejamento e da instalação da EICTV (Escuela Internacional de Cine y TV) em San Antonio de los Baños/Cuba, tendo sido seu primeiro diretor docente (1986/1988). Foi diretor de produção, montador e roteirista de inúmeros documentários da Caravana Farkas, tendo dirigido Rastejador (Prêmio Humberto Mauro/JB 1972), Beste, Uma a Um, Cheiro/Gosto: o Provador de Café, A Cuíca, O Berimbau, De Raízes & Rezas, Andiamo in ‘Merica, entre outros. Seu primeiro filme foi Roda & Outras Estórias, que ganhou prêmios no Festival do Rio de Janeiro (1965), Montevidéu (1967) e Viña del Mar (1967).